A Importância da Saúde Mental e Qualidade de Vida

O cuidado com a própria saúde é fundamental, “quem ama, cuida e cuidar-se é amar-se, é acolher a si próprio e o outro. A Psicologia da Saúde não está interessada diretamente pela situação, que cabe ao foro médico. Seu interesse está na forma como o sujeito vive e experimenta o seu estado de saúde ou de doença, na relação consigo mesmo, com os outros e com o mundo. Objetiva fazer com que as pessoas incluam no seu projeto de vida, um conjunto de atitudes e comportamentos ativos que as levem a promover a saúde e prevenir a doença, além de aperfeiçoar técnicas de enfrentamento no processo de ajustamento ao adoecer, à doença e às suas eventuais consequências (Barros, 1999).

Saúde mental é um estado de equilíbrio e bem-estar emocional, psicológico e social, permitindo que uma pessoa viva de forma plena e saudável. Envolve a capacidade de lidar com os desafios diários da vida, trabalhar de forma produtiva, ter relacionamentos saudáveis e contribuir para a sociedade de forma eficaz.

Existe uma relação estreita entre o que se pensa, o que se sente e a maneira como se comporta. As três realidades estão intrinsecamente ligadas de forma harmônica, sempre que uma é alterada, a outra se modifica: Pensar, Sentir, gera um comportamento que pode ser saudável ou doentio.

O estilo de vida, isto é, o conjunto de comportamentos adotados por uma pessoa, pode ser benéfico ou prejudicial à saúde, isso no âmbito pessoal e na relação com os pares da vida social. Por exemplo, um indivíduo que mantém uma alimentação equilibrada e que realiza atividades físicas diariamente tem maiores hipóteses de desfrutar de uma boa saúde. Pelo contrário, as pessoas que comem e bebem em excesso, que não descansam o suficiente e que fumam, pessoas raivosas, correm sérios riscos de sofrer doenças que poderiam ser evitadas.

Portanto a Saúde Mental é o equilíbrio emocional entre o patrimônio interno e as exigências ou vivências externas. É a capacidade de administrar a própria vida e as suas emoções dentro de um amplo espectro de variações sem contudo perder o valor do real e do precioso. É capaz de ser sujeito de suas próprias ações, sem perder a noção de tempo e espaço. É buscar viver a vida na sua plenitude máxima, respeitando o legal e o outro. (Dr. Lorusso).

A Saúde Mental é estar de bem consigo e com os outros. Aceitar as exigências da vida. Saber lidar com as boas emoções e também com as desagradáveis: alegria/tristeza; coragem/medo; amor/ódio; serenidade/raiva; ciúmes/culpa; frustrações/fortalecimento. Reconhecer seus limites e buscar ajuda quando necessário. A saúde mental nas empresas, comunidades religiosas, grupos e pastorais pode colaborar para o bem-estar dos agentes voluntários, da própria população, etc.

Precisa haver um equilíbrio na vida emocional de todas e qualquer pessoa, quando há esse equilibro bem organizado na vida das comunidades e pastorais, agentes, vistos como pessoas humanas, seguindo e apresentando boas condições de relação com seus pares, ambiente de interação, clima organizacional, pastoral, ambiente físico, matéria prima, equipamentos, instrumentos, suporte organizacional. Haver um programa de qualidade de vida que são instrumentais e responsabilidade de todos. Valores, bem-estar dos servidores, desempenho funcional e missão institucional. Responsabilidade, comprometimento dos agentes e demais colaboradores, etc.

Infelizmente, a qualidade de vida, muitas vezes, é confundida com a expressão padrão de vida. O padrão de vida é uma estimativa de quantidade de bens e serviços que estão disponíveis, bem como a qualidade dos mesmos. A qualidade de vida tem sido considerada sinônimo de saúde, devido à valorização de fatores humanos e biológicos e sua constante preocupação com o impacto deles em nossa existência. Além disso, é comprovado que a saúde é nosso recurso mais importante em termos de desenvolvimento social, econômico e pessoal.

Como já visto acima, para possuir qualidade de vida em relação à saúde, são necessários alguns conceitos, tais como a paz, justiça social, alimentação certa, ambiente saudável (inclusive moradia apropriada), renda, educação e recursos sustentáveis.

O autocontrole permite que a pessoa tenha maior consciência diante de problemas, desafios, situações difíceis e mantém a motivação e fé que no final tudo dará certo.

O desenvolvimento de valores deve nascer em casa, na família, grande base da nossa sociedade e a religião principalmente nos dias de hoje procura oferecer esses valores perdidos que estão desnorteando principalmente os jovens. A religião permite alcançar a paz interior, através de meditação, autoanálise e alcançar equilíbrio, com isso se socializa mais, se envolve, conversa mais com as pessoas, pois está faltando o diálogo, à vida corrida não permite mais a comunicação muitas vezes com os mais próximos.

Cuidado com a saúde mental é isso, é viver equilibrando a saúde mental, vida emocional e relação humana diária. A promoção da saúde mental envolve ações para prevenir ou tratar esses problemas de saúde mental, bem como promover um ambiente de suporte que possa ajudar a melhorar a resiliência emocional das pessoas. Ter saúde mental organizada, é um direito de toda pessoa humana.

Pe. Gilberto Luna de Moura, Terapeuta Cognitivo Comportamental

Um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *