Carta Aberta do Movimento Todos Juntos Contra o Câncer por Ações Emergenciais para o Enfrentamento da COVID-19

A Vossa Excelência
PRESIDENTE JAIR MESSIAS BOLSONARO
Presidente da República Federativa do Brasil
Palácio do Planalto

Carta Aberta do Movimento Todos Juntos Contra o Câncer em
colaboração com redes de organizações da sociedade civil

Recomendações Emergenciais para o
Enfrentamento da COVID-19 no Brasil

Conscientes da profunda crise na área da saúde no Brasil, por acompanhar de perto os desafios enfrentados pelos pacientes com câncer, doenças crônicas e população em situação de vulnerabilidade social, decidimos nos mobilizar, propondo agilidade nas medidas emergenciais que devem ser tomadas.

Primeira página do documento

A sociedade civil organizada, alinhada às deliberações do controle social no SUS, representa importante força para auxiliar com as ações necessárias no enfrentamento da pandemia e de seu impacto, que se alastra nos municípios de todo o país.

O panorama é complexo e exige colaboração. A força e habilidades da sociedade trará agilidade na solução da crise, se houver abertura e aceitação do governo.

Desde o início da pandemia, várias pesquisas realizadas pelas organizações do Movimento Todos Juntos Contra o Câncer comprovam grandes alterações no diagnóstico e tratamento oncológico, incluindo o cancelamento de consultas, exames, sessões de quimioterapia, radioterapia, cirurgias oncológicas e outras dificuldades.

No que tange os agravamentos pós-pandemia, haverá um aumento exponencial de casos de cânceres e outras doenças que não foram diagnosticadas nesse período, de acordo com especialistas.

Transcendendo a nossa agenda na Oncologia, em colaboração com outras redes – Ashoka Brasil, Fórum Intersetorial para Combate às DCNTs no Brasil, Rede Alianza Latina, Rede Filantropia, Unidos pela Vacina liderado pelo Grupo Mulheres do Brasil e empreendedores sociais da Rede Folha – oferecemos nosso apoio e contribuição para a redução do sofrimento da população
brasileira.

Ademais, propomos a criação e instituição urgente do Grupo de Trabalho de Especialistas no tema (pandemia da COVID-19), composto por: médicos, cientistas, pesquisadores, infectologistas, cientistas de dados, executivos do segmento de logística, comunicação, administradores, economistas e sociedade civil organizada.

O objetivo é assessorar de perto o plano de medidas do Ministério da Saúde e o Comitê de Crise para Supervisão e Monitoramento dos Impactos da COVID-19, formado há um ano por meio do Decreto No 10.277, de 16 de março de 2020.

Adicionalmente, propomos ampliar e escalonar as medidas emergenciais:

  1. Aumentar investimento financeiro e intelectual no programa de vacinação, acelerando a imunização para todo o povo brasileiro, em especial aos grupos prioritários.
  2. Incluir os pacientes oncológicos e de doenças crônicas nos grupos prioritários para a vacinação.
  3. Reforçar a importância do isolamento social e do cumprimento da quarentena.
  4. Recomendar a adoção de medidas de lockdown inteligente, com estratégias para garantir adesão e eficácia.
  5. Estimular e promover uma cultura de prevenção que oriente e estimule as pessoas ao uso de máscara, higiene das mãos e a evitar aglomerações.
  6. Levantar e replicar exemplos nacionais e internacionais de medidas para o controle da COVID-19, comprovadas cientificamente.
  7. Coibir a divulgação de tratamentos precoces e remédios preventivos para a COVID-19 sem comprovação científica.
  8. Oferecer tratamento adequado para o controle de sintomas da COVID-19, com medidas de conforto e dignidade aos pacientes com doença avançada. Assim como, estabelecer um padrão de comunicação com os familiares.
  9. Combater às fake news sobre a COVID-19 e divulgar os contatos do Ministério da Saúde – https://saude.gov.br/fakenews e (61) 99333-8597 – para envio de mensagens da população.

Esta carta aberta será entregue ao Presidente da República, ao Ministro da Saúde, ao Senado Federal, à Câmara dos Deputados, ao Ministério Público Federal e à Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS).

Conforme o Artigo 196, da Constituição Federal, a saúde é um direito de todos e dever do Estado. Este não é um momento para embates políticos. Agora é preciso focar na saúde da população. Entendemos que somente com trabalho conjunto e proposições embasadas é que conseguiremos mudar o cenário atual. Adicionalmente aos trabalhos desenvolvidos como sociedade civil organizada, nos comprometemos a realizar em rede as seguintes ações:

A. Divulgar a campanha de conscientização da vacina produzida pelo movimento Unidos pela Vacina.

B. Divulgar pesquisa para que os municípios informem sobre as suas necessidades mais iminentes.

C. Mobilizar empresários e pessoas que possam ajudar a suprir as necessidades dos municípios e hospitais públicos.

Esperamos que Vossa Excelência implemente, com agilidade, a criação do Grupo de Trabalho de Especialistas e as recomendações emergenciais.

Para ler o documento original, clique no link a seguir: https://drive.google.com/file/d/1apJoPh26xww6OgCCoxqq9jyzDoTjH5SR/view

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *