MENSAGEM PARA O DIA MUNDIAL DA SAÚDE

“Que a Saúde se Difunda sobre a Terra” (cf. Eclo 38,8)

Na Comemoração do 7 de abril, que a Organização Mundial da Saúde adotou no ano de 1948, para assumirmos uma consciência mais abrangente e plena do que significa a saúde como estado de bem-estar físico, mental, socioambiental, somos convidados a refletirmos e nos comprometermos com a defesa da saúde.

Desenho do Dia Mundial da Saúde, fonte: freepik.com

Desde a criação desta data, a saúde da população mundial nunca esteve tão ameaçada. No Brasil, chegamos ao índice assustador de mortes pela Covid19, piorando o cenário econômico, de desempregos e para as micros e pequenas empresas do país. Milhares de microempreendedores estão fechando suas portas, trabalhadores autônomos estão sem renda e o desemprego vem aumentando.

Apesar de tantas vidas ceifadas, graças ao SUS e aos valorosos e dedicados profissionais da saúde, um número muito maior de pessoas foram salvas, ainda que sofrendo com seu desmonte sistemático via precarização e sub-financiamento, tornando unidades básicas de atendimento e hospitais incapazes de cumprir minimamente a sua função. É inaceitável e indigno conviver com a mistanásia social, com os corredores do descaso e da morte, causados também pela carência de profissionais de saúde. Devemos passar do SUS vivido hoje ao SUS pensado e desejado, previsto na Constituição e nas suas leis fundantes, que garantem um atendimento público, universal, igualitário como direito de cidadania a toda população brasileira. Para isso, para nós, brasileiros, torna-se necessário avivar e recriar o sonho que animou o movimento sanitarista e outros coletivos, incluindo a Pastoral da Saúde, com seus muitos agentes comprometidos com a melhoria da saúde pública, para exigir e fazer acontecer a saúde integral como direito dos cidadãos e dever do Estado.

Por isso reafirmamos o direito de acesso à saúde para todos(as) como já defendia a Campanha da Fraternidade 1981, assim como outras campanhas que reafirmam a saúde como direito, quando abordaram essas temáticas sociopolíticas de controle social e cidadania e direitos, como fez a mais recente CF de 2019 “Fraternidade e Políticas Públicas”, por um Estado Democrático de Direito, que possa garantir os direitos sociais, a vida digna e saudável para todas as pessoas.

Que o Cristo Ressuscitado ilumine toda humanidade para que não perca a esperança, a exemplo da Mãe Maria Santíssima, a primeira Discípula Missionária na dignidade humana.

07 de abril de 2021.

Coordenação da Pastoral da Saúde Nacional-CNBB

Para acessar o documento original, clique no link a seguir: https://drive.google.com/file/d/1YwU-_OU19J6YaV0fAzlmmKKvAuYX3xQv/view?usp=sharing

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *