XXXVIII CONGRESSO BRASILEIRO DE HUMANIZAÇÃO E PASTORAL DA SAÚDE

Com o tema “Políticas Públicas e Pastoral da Saúde”, a Pastoral da Saúde da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e o ICAPS – Instituto Camiliano de Pastoral da Saúde, realizaram nos dias 31/08 e 01/09 o XXXVIII Congresso Brasileiro de Humanização e Pastoral da Saúde, no Centro Universitário São Camilo, no bairro do Ipiranga em São Paulo. O evento, que vem superando a cada ano as expectativas dos agentes.

Com a presença do Bispo Referencial da Pastoral da Saúde Nacional, Dom Roberto Ferrería Paz, do Coordenador Nacional, Alex Motta, demais membros da Coordenação, e do Diretor do ICAPS, Pe. Maurício Gris, o Congresso trouxe dois momentos importantes o Ano Vocacional Camiliano que deu a abertura em fevereiro no Santuário de Aparecida no dia Mundial do Enfermo e a Campanha da Fraternidade deste ano sobre Políticas Públicas à discussão de temas atuais e importantes para o trabalho pastoral. Os temas levantou discussões e reflexões que envolveram os mais de 400 participantes vindos de diversos regionais do país, entre membros do Clero, Religiosos, Religiosas, Coordenadores Regionais, Arquidiocesanos, Diocesanos, Paroquiais, profissionais de saúde de e agentes pastorais.

No primeiro dia do encontro, Pe. Mateus Locatelli falou sobre o ano vocacional na inspiração de São Camilo no cuidado ao Enfermo com objetivo de fomentar novas vocações. Já o coordenador Nacional Alex Motta falou sobre o papel do coordenador e do agente, destacando os fundamentos de um trabalho em equipe atribuído a Fé, é o primeiro e mais importante, a Comunhão, Planejamento, Envolvimento, Compromisso, Dedicação, Formação e Disponibilidade um complementa o outro.

A função do conselheiros de saúde e a atuação dos conselhos foram abordados pelo Dr. André Luiz conselheiro de saúde como representante da CNBB no conselho nacional de Saúde.

Ainda no sábado, ocorreu a Assembleia Nacional da Pastoral da Saúde, onde os Coordenadores puderam debater e deliberar sobre questões práticas pastorais, como: prestação de contas durante a Assembleia também foi lida a Ata da Reunião do Conselho Fiscal e aprovação pela assembleia. Em seguida procedeu o processo eleitoral para Coordenação Nacional que se manteve em seu formato Coordenador Alex Motta – Diocese de Campos, Vice Coordenador Antonio Pitol – Arquidiocese de Maringa, secretaria Sebastiana Tiburcio – Aquidiocese Vitória da Conquista e tesoureira Carla Balthazar – Arquidiocese de Niterói. Para o conselho fiscal ficou Maika Anacleto – Diocese de Araçatuba, Helena Satrabelli – Arquidiocese Maringa, Cléia Vallory – Arquiocese de Niterói , Marlene Massaro – Arquidiocese de Porto Velho, Cirlei Andrade – Arquidiocese de Niterói, Antonio Barbo – Arquidiocese Rio de Janeiro.

No segundo dia, dando continuidade ao tema, os palestrantes destacaram o papel do agente na Igreja e as novas formas de ação na Pastoral da Saúde. A atuação do agente na política e nos conselhos de saúde na três esferas, também foram destaque.

Diante da necessidade de um documento que oriente e ampare as ações da Pastoral da Saúde em âmbito nacional, a Coordenação Nacional apresentou em discussão aberta e paralela ao evento, o processo das propostas do Manual do Coordenador, Diretrizes para a Assistência Espiritual e Religiosa nas Unidades de Saúde. A proposta já havia sido disponibilizada no site da Pastoral Nacional e vinha recebendo colaborações para a discussão. Na parte da manhã vários coordenadores e agentes se reuniram para debaterem os documentos.

Ao final da tarde, o Congresso foi encerrado, consagrando-se por mais um ano como o maior e mais representativo evento da Pastoral da Saúde Nacional, buscando atingir o objetivo de integrar, informar e colaborar com a formação de agentes e profissionais para atuarem nas mais diversas realidades do país.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *